Blog

Ep#10 Sua alimentação saudável está colocando sua saúde em risco?

Existe tanta informação contraditória sobre o que é saudável e o que não é saudável que é pra qualquer um ficar confuso!
No podcast de hoje, conversamos sobre como o que se diz saudável por aí não necessariamente é o mais saudável pra você.

 00:58 - A vida da Laura antes da alimentação saudável
 03:48 - O reflexo da alimentação na nossa saúde
 06:06 - O que é alimentação saudável?
 08:30 - Existe alimentação equilibrada?
 12:50 - O funcionamento integral do corpo
 15:52 - As perguntas corretas

Transcrição do Áudio

[Tammy]

¡Buenas, buenas! Hoje estamos aqui, desde Traslasierra num dia meio chuvoso, cinza, coisa que não é muito comum por aqui. Às vezes a gente olha para o comum, vamos falar hoje um pouco sobre o comum: a alimentação saudável como todo mundo conhece. O comum da alimentação saudável. Será que isso pode estar colocando a sua saúde em risco?

A vida da Laura antes da alimentação saudável (00:58) 

[Laura]

Buenos días! Esse tema é bastante controverso. A alimentação saudável, tem tantas versões de alimentação saudável que parece que tudo é saudável. Aí as pessoas ficam confusas demais e sem saber o que elas têm que fazer, assim como eu fiquei confusa, e com minha saúde disfuncional durante muitos anos, por seguir o que supostamente era saudável. 

Para você ter uma ideia, há 15 anos atrás eu tinha enxaquecas debilitantes que não me deixavam viver, tinha que sair do trabalho 3, 4 vezes por semana para ir para casa porque não aguentava as dores de cabeça. Não sei se você teve enxaqueca alguma vez, mas é uma coisa espantosamente horrível que parece que a sua cabeça vai explodir. A única coisa que eu queria era deitar na cama com alguma coisa escura nos meus olhos, porque o barulho me incomodava, a luz me incomodava demais, e rezar para que essas dores passassem.

Eu também tinha problemas digestivos, gases demais, inchaço, incômodo constante. Uma vez no trem, indo para o trabalho, alguém deu o assento para mim achando que eu estava grávida para você ter uma ideia. Era algo que me incomodava muito socialmente, não me deixava viver. Porque, primeiro, quando eu não estava com essas enxaquecas deitada na cama esperando que passassem as dores, estava com gases que não dava para viver. 

Foi uma situação onde eu procurei ajuda médica durante 2 anos seguidos indo para especialistas, foi até considerado que eu poderia ter um tumor no cérebro e fizeram um monte de exames. Sempre recebia a mesma resposta, “está tudo bem com você, é só uma enxaqueca, tome essa pílula aqui e vai passar. Assim que você sentir que a dor de cabeça está chegando, tome esse remédio e vai passar.” Porém, não passava. 

Um dia, lendo um livro da Luis Rey, ela contava como tinha curado um câncer de útero fazendo suas afirmações e as coisas que ela fazia do mindset, mas também que tinha mudado a alimentação e que essa alimentação tinha feito com que ela curasse esse câncer sem a necessidade de nenhum tratamento convencional. Foi aí que veio uma luz que falou para mim “olha, você está comendo pelo menos 3 vezes por dia e isso tem alguma coisa a ver com as suas dores de cabeça.”

O reflexo da alimentação na nossa saúde (03:48) 

Foi aí que eu fui investigar um pouco mais como a alimentação refletia na nossa saúde e um mundo se abriu. Comecei a entender que tudo o que a gente coloca no corpo tem um efeito. Na Argentina fui estudar nutrição convencional na universidade e comecei a fazer tudo o que eles falavam. Comecei a comer desse jeito e as minhas dores pioravam, e os meus problemas digestivos especialmente pioravam ainda mais a cada dia.

Foi aí que eu entendi que tudo isso que estava sendo falado na universidade, de contar calorias, do light, do low fat, e toda essa alimentação promovida na pirâmide alimentar estava só piorando os meus sintomas. Eu percebi que tinha uma indústria por trás que se você estava consumindo as calorias que o seu corpo precisava de acordo com o seu peso e a sua altura, você poderia comer um pouquinho disso, um pouquinho daquilo e seria saudável, mas meus sintomas pioravam. 

Então eu falei “pera aí, aqui tem algo a mais que não estou vendo.” Foi uma frustração porque eu fui até a universidade de nutrição para estudar isso e para curar o meu corpo, mas as coisas pioraram. Então eu fiquei ainda mais frustrada porque fiquei, como a gente fala em espanhol, “agora sim, estamos en el horno.”

O que é alimentação saudável? (06:06) 

[Tammy]

Interessante você falar isso porque eu também tive essa mesma sensação de “pera aí, mas eu estou comendo saudável, eu tenho uma alimentação saudável dentro do senso comum do que é saudável.” Que existe para todo mundo, a grande maioria das pessoas, a gente conversa com tanta gente que diz: “eu não sei o que mais que eu posso fazer, será que o que vocês fazem pode me ajudar? Porque eu já tenho uma alimentação saudável.”

A questão é que essa alimentação saudável é baseada em uma pirâmide alimentar, em toda uma história, enfim, a gente não vai entrar em detalhes aqui nesse podcast, mas vem com base em algo que não é o que foi considerado por causa da nossa saúde, do nosso DNA, da maneira como a gente vive hoje. Foi considerado com base em uma indústria, infelizmente, com base no bolso de quem está produzindo esses produtos alimentícios. 

[Laura]

Aliás, o dono da universidade onde eu estudava é um médico muito famoso aqui na Argentina, é o médico da dieta que todo mundo olha, e o cara tem uma indústria de produtos alimentícios por trás que é ridícula. Foi aí que eu falei “não, isso aqui não está fazendo sentido”, e tive uma oportunidade de ir para o Canadá e estudar nutrição holística e entrar no mundo da saúde integrativa, da medicina funcional. 

Mil portas se abriram, um mundo diferente se abriu, do que realmente era saudável. Depois de ter entrado nesse mundo e de ter entendido qual é a comida ideal para o corpo humano, e de entender que absolutamente tudo o que a gente coloca na boca tem um impacto nos nossos sintomas todos… A maior parte das nossas doenças crônicas que a gente vê no mundo tem a ver diretamente com o que a gente coloca na boca.

Existe alimentação equilibrada? (08:30) 

E aí entra a questão de ter uma alimentação equilibrada, eu ouço muito isso e fico pensando, “o que é uma alimentação equilibrada?” Se eu pergunto para você, o que é uma alimentação equilibrada, para você será uma coisa, para Tammy. vai ser outra e para outra pessoa vai ser outra. Se eu dou a mesma alimentação “equilibrada” para uma pessoa que está com uma síndrome metabólica, com diabetes ou com câncer… são situações completamente diferentes! Se eu dou a alimentação equilibrada que a maioria das pessoas descrevem para uma pessoa dessas talvez eu coloque a pessoa em risco de vida, porque entra numa cascata de efeitos no corpo que podem colocar a pessoa em risco.

Então todo mundo me fala “eu tenho uma alimentação equilibrada”, mas qual é o seu contexto? A sua alimentação não pode ser a mesma quando você passou dos 40 do que quando você está com 20 ou quando você está com 60 ou 70, nem se você está estressado, nem se você está passando por alguma situação, alguma condição específica, então antes de falar “eu tenho a alimentação equilibrada”, primeiro precisamos entender qual é o fundamento de uma alimentação para o ser humano. Qual é a alimentação ideal para o ser humano? Qual o combustível que o corpo humano utiliza melhor? E em que proporções?

Eu continuo ouvindo nutricionistas falando nas redes sociais “então se você come um pouquinho de pipoca vai ajudar no emagrecimento.” Parece que a alimentação é só sobre o emagrecimento. A gente tem que entender uma coisa, se o seu peso está desequilibrado é porque tem um desequilíbrio na saúde, seu corpo não está nem aí com o seu peso, é a última prioridade. O funcionamento dos seus órgãos, o funcionamento do seu cérebro, a sua funcionalidade no dia-a-dia é a prioridade do seu corpo.

[Tammy]

Muita gente coloca essa funcionalidade do dia-a-dia como produtividade hoje em dia, mas é a mesma coisa. Produtividade no sentido de “eu sou eficiente”. Não só no trabalho, “eu sou eficiente nas coisas que eu faço, eu faço com foco, eu faço com eficiência, eu resolvo as coisas, eu tenho poder de decisão.” A saúde do corpo físico que está diretamente ligada com a saúde do nosso cérebro, então não são coisas isoladas e separadas. 

As pessoas que falam “tenho uma alimentação saudável já, eu tenho uma alimentação equilibrada”, ao olhar o contexto delas essas pessoas estão num nível de estresse hoje com tudo o que estão fazendo, principalmente no momento em que a gente se encontra no mundo, que ela precisa considerar esse “equilíbrio” da alimentação para o contexto dela naquele momento.

[Laura]

E eu fico surpresa quando as pessoas me falam “eu tenho uma alimentação saudável, porém: eu estou com dor de cabeça, eu estou cansado, chego no final do dia morrendo, tenho dores constantes, não tenho energia, meu peso está desequilibrado.” Então a sua alimentação não é saudável. Simples assim. A base da sua vida, de tudo o que acontece no seu corpo é a sua alimentação. Seus hormônios vão estar equilibrados ou desequilibrados dependendo do que? Da sua alimentação e do seu estilo de vida. Então está tudo relacionado com qual combustível que você dá. 

Estou falando isso para você seriamente, se você tem algum sintoma que se repete no tempo e você acha que a sua alimentação é saudável, você precisa olhar para essa alimentação saudável e entender qual o seu contexto e o que disso não está funcionando hoje. 

O funcionamento integral do corpo (12:50) 

[Tammy]

Eu quero só frisar isso que você falou de que é o funcionamento do corpo, vai muito além do emagrecimento. Eu quero colocar do ponto de vista de uma pessoa que teve 30kg a mais, do ponto de vista de uma pessoa que não teve condições. Porque eu acho que são mundos diferentes né, você vem de um mundo que você teve muitos sintomas, muita dor. Eu vim de um mundo onde eu não tive dores físicas, eu cheguei a um ponto, em algum momento, onde eu não tinha mais disposição, eu não tinha mais energia, e foi uma consequência.

Mas eu não vi tudo isso antes, eu nem imaginava que poderia ter alguma relação. Porque sim, a gente relaciona ter alguns quilos a mais com “talvez eu não esteja comendo corretamente, mas eu não entendo porque eu já tenho uma alimentação saudável. Então por que que eu estou acima do peso?” Ah, é porque passou dos 35, 40 e o corpo muda? Não, é tudo conversa. Se o nosso corpo está funcionando da maneira que ele tem que funcionar, a funcionalidade do nosso corpo está perfeita e a gente tem a produtividade, a clareza mental, tudo isso é um conjunto. O ser humano é sistêmico, corpo e mente estão interligados, não são coisas isoladas, separadas, está tudo junto.

Eu vejo muita gente por aí hoje, “eu quero crescer, quero criar o meu negócio,” mas esquece que a base de tudo isso é o corpo. Se o seu corpo não está tendo essa energia, se o seu corpo não está no peso ideal, se o seu corpo não está sem esses sintomas de dor, como você falou. Você tinha sintomas de dor, como é que você consegue ter uma vida super, uma vida power se está doendo? Se você tem dor de cabeça debilitante, enxaqueca? Se você tem dor de estômago, refluxo? Se você tem gases que não te deixam em paz? Que é uma coisa constante, que você não aguenta a ponto de precisar sair de um lugar público porque as coisas ficam complicadas?

Não é vida power isso. Isso é sobreviver com aquilo que nos foi dado. Então, o convite que a gente gostaria de fazer aqui é que você pense sobre a sua vida, sobre o seu dia-a-dia, sobre as coisas que você vive constantemente no seu dia-a-dia. Você tem sintomas? Algum tipo de sintoma? Você está acima do peso? Falta energia? Falta disposição? Você não consegue ter aquela garra para chegar aonde você quer chegar? Você chega num ponto onde você desacredita de você mesmo? Nada disso é isolado. Está tudo ligado.

As perguntas corretas (15:52) 

[Laura]

É, e aí as pessoas focam no “posso comer isso? Posso comer aquilo?” Não sei. Primeiro, não sei qual é o seu contexto, e não sei qual é o seu objetivo. Voltando no exemplo tonto da pipoca, se você quer ter uma vida super power, e super energizada, e ter um impacto no mundo, você está dando para o seu corpo, mesmo que de vez em quando, como combustível pipoca? 

Acho que você tem a resposta, eu nem preciso falar. Esquece do “posso esse alimento? Posso aquele alimento?”.

“Qual é o meu objetivo? Onde eu estou hoje? Onde eu quero chegar? Para que eu quero me alimentar bem? Para que eu quero toda essa energia? Para que eu quero estar saudável? Para que eu quero funcionar bem?” É isso que você tem que se perguntar. Onde você está? Qual o seu contexto hoje? Entender qual o seu momento de vida. Entender sua fisiologia. Entender como que o seu corpo funciona ou deveria funcionar, porque infelizmente ninguém nos ensina disso.

Não viemos com manual de instrução e dependemos de um sistema de saúde que não se importa com a alimentação e nos alimentamos num sistema de indústria alimentícia que não se importa com a saúde. Então é claro que as pessoas vão ficar confusas, do mesmo jeito que eu fiquei. E eu fui aprender nutrição, e isso fui ensinado na faculdade. 

[Tammy]

Você acha que vai clarear para você, que você vai entender o rosto da nutrição e aprender essas coisas, mas na verdade, no seu caso, porque tem muita gente que não chega a esse ponto porque não acontece o que aconteceu com você, mas no seu caso você começou a ter mais desses sintomas com o tipo de alimentação “saudável” que você estava tendo. 

[Laura]

“Saudável” que os médicos e os nutricionistas falam que é saudável. Então o convite aqui é que você entenda e comece a dar a importância que merece para o combustível que você dá ao seu corpo. Se você tem um carro dos melhores, uma Ferrari, não sei, não conheço muito de marcas de carro, mas se você tem um super carro e vai dar o pior dos combustíveis quando ele precisa de Super Premium, então você não pode esperar que o carro tenha um bom desempenho. Assim como você não pode esperar que o seu corpo e a sua mente tenham uma boa performance, ou seja, saudável, quando você está dando o pior dos combustíveis para ele.

[Tammy]

Então o convite é para que você analise a sua situação, o seu contexto, e principalmente, o seu saudável. O que é a sua alimentação saudável hoje? Te convido até a escrever isso, porque quando a gente só olha, a gente esquece. Se você escreve isso, escreve hoje. Faz um registro de tudo o que você está comendo, hoje. De tudo o que você coloca na sua boca no dia de hoje, amanhã, depois de amanhã, faz isso durante alguns dias e depois volta e analisa. O quão saudável realmente é a sua alimentação? Será que ela está colocando a sua saúde em risco? Faça essa análise, faça esse levantamento e tire uma conclusão, coloque isso em contexto e acredite que você pode sim tomar as rédeas da sua própria saúde.



Curtiu? Deixe seus comentários e compartilhe esse podcast para nos ajudar a descomplicar a saúde e felicidade de todas as mulheres como eu e você!

Quer ter MAIS ENERGIA?

Cadastre-se e receba nossas DICAS, DESAFIOS e OPORTUNIDADES para melhorar a performance
e estar em forma para o sucesso.

Curtiu? Então, compartilha! 👇

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Deixe um comentário