Blog

Ep#3 – Coronavírus – Qual Poder Você Tem?

Nesse episódio Laura compartilha um pouco da sua história e diz o que acredita sobre o que está acontecendo no mundo com a pandemia do coronavírus.

 01:43 - A infância inusitada de Laura 
06:09 - O problema é o vírus?
08:24 - Só não estar doente basta?
12:28 - O problema do sistema médico
13:00 - A importância do corpo estar em equilíbrio
17:23 - Building Blocks
18:05 - O lado bom das coisas
21:27 - Alguns questionamentos

Transcrição do Áudio

[ Tammy ]
Buenas buenas! Espero que vocês estejam super bem! A gente tá aqui para mais um episódio do nosso Podcast! Hoje é a vez da Laura contar um pouquinho do história dela e de porque ela é a pessoa que ela é hoje, porque ela faz, o que ela faz, porque ela é uma pessoa mais feliz e saudável, ela tá aqui na minha frente, olhando para mim, esperando o momento dela falar!

[ Laura ]

Buenos dias, como estão todos por aí? É um prazer estar aqui hoje falando um pouquinho. Enfim, o que você quer que conte Tammy? A minha história? A minha história é longa e comprida

[ Tammy ]

Por isso vamos levar mais um bate papo aqui, eu conheço um pouco da história da Laura, mas eu vou fingir que não conheço a história dela e vou perguntar, de onde você veio? O que aconteceu com você um dia? O que aconteceu para você se tornar a pessoa que é hoje?

Bom acho que a nossa vida toda é um processo que faz com que a gente se torne quem a gente é, todos os dias e a cada dia vai mudando um pouquinho, vai acrescentando alguma coisa, mas falando sobre a primeira coisa que você perguntou ‘’como que eu cheguei onde estou hoje, por que eu faço isso que eu faço?’’ Nem sempre eu soube disso, mas em algum momento eu tive essa, força que desceu e me passou essa informação de alguma maneira do que eu tinha que fazer.

A infância inusitada de Laura (01:43)

Quando eu tinha 15 meses de idade, eu tive uma doença, meningite bacteriana fulminante, é uma doença que a procedência não é muito boa, ou é a morte ou você fica com alguma sequela física ou mental. 

Graças a alguma força, o universo, deus, xamã, você como queira chamar, eu estou aqui, sem nenhuma sequela, nunca tive, porém durante a infância, primeiros anos de vida, sempre tive que ir no medico e fazer exames e controles para ter certeza que nenhuma sequela aconteceria ou estava acontecendo, só que durante a minha infância, sem ter uma intenção negativa, meus pais, meu irmão, minha família toda brincavam ‘’alguma coisa você deve ter por aí, por que não pode ser, não é possível que você não tenha nada, os médicos falavam, eles brincavam, faziam brincadeiras mas pra mim só ficou só muito grudado nas células essa brincadeira. 

E dessa maneira foi como eu sempre em algum lugar de mim, estava buscando entender o que tem de errado comigo né, alguma coisa de errado tem que ter!

 Só que uma vez, maior já, um dia uma voz que eu escutei, lembro claramente, estar pensando, curando aquela coisa que estava errada e eu ouvi uma voz ‘’Laura, o que você tem é que você é diferente, mas isso não quer dizer que isso seja ruim!’’ E eu comecei a pensar, como assim diferente?

‘’Sim, você não é igual todo mundo, você não aceita como todo mundo, você questiona as coisas, você busca, você procura… E nesse momento foi como que um choque! Essa resposta que veio do além. ‘’Será?’’ Foi um questionamento interno, comecei a olhar a questão desse lugar, desse questionamento e além disso uma vez, outra resposta chegou, que foi

‘’você teve uma doença, mas hoje você não tem nada, você tá bem, você tá aqui, alguma força que está dentro de você quis viver muito’’ então você não pode desperdiçar a sua vida, nem perder tempo, nem pode se conformar em viver mais ou menos, você está aqui, você é um milagre e você precisa agradecer por isso e você precisa ajudar outras pessoas a verem que elas também são diferentes.

Que todo mundo é diferente! E o que é errado é ser igual todo mundo e não o ser diferente, então eu falei peraí, eu preciso ajudar às pessoas a entenderem que podem se sentir melhor, que podem ser saudáveis que são saudáveis, só que os costumes e os pensamentos e os hábitos delas estão levando elas para um lugar onde não se sentem bem, mas a real natureza dela é se sentir bem, e é possível! 

Se eu consegui passar por uma doença que em teoria é mortal e/ou poderia ter ficado com sequelas mas eu estou bem aqui, gente isso não é uma coisa que podemos dar por garantia! A nossa saúde não é garantida, amanhã pode acontecer alguma coisa conosco, ou com o mundo e perder tudo! (Como está acontecendo agora)

O problema é o vírus? (06:09)   

Como está acontecendo nesse momento, só que ninguém está vendo, que não era o problema do vírus, assim como não era o problema do bacteriana que eu tive meningite, mas sim, qual é o estado de quem recebe essa bactéria ou esse vírus! 

Qual é o seu estado, o que que você faz todos os dias? Você prepara esse terreno para a bactéria ou o vírus entrar? Ou você prepara essa bactéria e esse vírus entrar e falar ‘’Oi!’’? e não entrar, pois você não deixa entrar! Não tem lugar! 

[ Tammy ]

Ou mesmo que ele entre, o seu sistema está preparado para atacar isso da maneira correta, não deixar que ele se prolifere, não deixar que ele aumente, dentro de você e faça estrago

[ Laura ]

Exatamente, eu acho que isso vem muito da crença que a gente tem sobre qual é o nosso poder, hoje nos falam que o vírus é mais poderoso que a gente! 

E não é verdade, se você olha para as estatísticas, 99% das vezes, não sei se esse número está 100% certo, mas 99% das pessoas que morreram tinham uma ou mais doenças preexistentes, ou seja estavam em uma situação de saúde vulnerável! 

Onde qualquer vírus entra, se você tem seu sistema pronto para combater qualquer coisa que venha, claro que vai entrar, mas não vai chegar até o seu ‘’quarto’’, talvez passe pela porta, mas não chega a entrar no quarto.

[ Tammy ]

E eu até duvido e questiono uma coisa aqui que você falou, dos 99% que morreram, que vieram a óbito por conta de um vírus, tinha uma condição preexistente, mas eu questiono se esse 1% que não tinha condição preexistente, não tinha uma condição preexistente diagnosticada, porque a quantidade de pessoas que tem por aí que não tem diagnosticado algo, que tá acontecendo do lado de dentro, mas ela tem sintomas, muitas vezes se sentem mal, se sentem cansadas, dor ou alguma coisa que não vai embora nunca e elas, muitas vezes essas dores, essas coisas não vêm sozinhas!

Só não estar doente basta? (08:24)

[ Laura ]

É que assim Tammy, quando as coisas já estão se manifestando a doença já está instalada a muito tempo só que a gente não consiga diagnosticar o que a gente não consiga ver, não quer dizer que não esteja. 

Hoje, como que é diagnosticado uma doença? Você tem que fazer um exame de sangue e tem que estar dentro de certos parâmetros, esses parâmetros não são parâmetros de saúde ótimos, são parâmetros de sobrevivência! 

Se você está dentro desses parâmetros você está sobrevivendo, ‘’você está vivo? Ok, então você não está doente’’ mas isso não quer dizer quer dizer que você não tenha saúde. 

Não estar doendo não quer dizer que você tenha saúde! Ter saúde é ter saúde ótima! É se sentir bem todos os dias, sem dores, com clareza mental, com felicidade, com vitalidade, com vigor, com energia, estando feliz! Tendo uma vida realizada, isso é saúde. 

Agora não ter doença não tem nada a ver com saúde,é  muito muito diferente! Quem se sente bem e em algum momento se sentiu mal sabe muito bem o que estou falando! 

Quem nunca teve. Acontece que a gente acostuma e se adapta a dores, a incômodos, a coisas que não ‘’não estou gostando, mas vou levando…tá aí e vou me acostumando’’ e a gente dá aquilo por normal, mas aquilo não é normal! 

É comum, mas não é normal! Normal do corpo é estar vital, com vigor, com energia e com saúde, e com saúde significa, esses parâmetros que eu falei, antes.. Vou dar um exemplo para ilustrar o que eu quero dizer.

Para você ser diagnosticado com diabetes, o seu açúcar em seu sangue tem que estar acima de 100, certo? Porém se você tem o açúcar em 99%, quer dizer que você ainda não é diabético, ainda não tem um rótulo, mas não quer dizer que você não tenha, no seu sangue, no seu corpo tenha algo que não é normal pro corpo!

Então muitas vezes essas doenças não são diagnosticadas mas estão aí! É como eu falo ‘’a então, é só  comer uma colher a mais de doce de leite você já vai conseguir ser diagnosticado com diabetes.

Precisamos colocar em perspectiva o que que é saúde e o que é doença. No final não estar doente não quer dizer ter saúde!

[ Tammy ]

E o que eu mais vejo também por aí, muito, mas bastante, de pessoas próximas, são pessoas que se acostumam com o que você falou, que se acostuma com algo que tá acontecendo. 

Então às vezes é aquela dorzinha de cabeça ou é um refluxo, ou uma dorzinha no estômago, é aquela coisa que passa a ser normal do dia a dia e muitas vezes ela é tratada com um remédio, por que eu não quero sentir dor e eu tomo um remédio pra tapar esse sintoma, mas isso não quer dizer que o problema foi resolvido.

O sintoma é tapado, e então eu não vejo ele acontecer, então o que eu vejo por aí são as pessoas que consideram que estão bem só que elas tomam remédio pra isso… pra aquilo… pra aquilo outro… muitas não dorme, ou ficam depressivas ou ansiosas… ou tem uma doença que às vezes tem algo imune, mas aquilo é uma coisa que durante muito tempo vem acontecendo… Ela toma um remédio pra aquilo ali e ela acha que tá tudo bem, que é assim, que é normal. 

E não é bem assim normal, é comum, como você falou Laura, mas não é normal, não é normal tapar o sol com a peneira, não é normal tapar os sintomas e não ir na causa do problema.

O problema do sistema médico (12:28)

[ Laura ]

O problema é que temos uma indústria alimentícia que não se preocupa com a saúde, claramente, e temos um sistema médico que desconhece o papel da alimentação na saúde. 

Então agora por exemplo estamos ouvindo ‘’temos que tomar zinco para o coronavírus! Temos que tomar selênio’’ mas eu te pergunto, da onde que esses nutrientes, são micronutrientes, de onde vem?

Eles vêm da alimentação, seu sistema imunológico precisa disso para poder se defender, para poder funcionar, porém nos vendem que precisamos coisas isoladas e pílula que vai consertar essa coisa em específica. 

A importância do corpo estar em equilíbrio (13:00)

O corpo, quando o corpo está em equilíbrio, não tem doença, é simples assim, não existe doença, e a única maneira de entrar na raiz do problema é estar preparados e fortalecidos e não estar solucionar os sintomas quando aparece. 

Querer resolver um problema que vem acontecendo a um tempão, em um pílula, isso não existe, se ainda não aprendemos isso, com tudo que está acontecendo, a gente ainda não aprendeu isso, então temos que nos ‘’replantear’’ a nossa vida toda, eu fico louca! 

Como que às coisas não estão sendo faladas, tá todo mundo falando de lavar às mãos, álcool gel… Mas ninguém fala o que as pessoas comem todos os dias… Ninguém! Eu fico louca! 

Continuam comendo a bosta, cheia de toxinas e zero nutrientes…Plástico…Zero nutrientes…. Em pacotes, que vem de quem sabe onde… E comendo isso sem saber de onde e aí tomam zinco e lavando a mão e colocando gel, o vírus não vai pegar… 

Talvez esse vírus você realmente não pegue, mas amanhã você vai pegar outro, ou uma doença crônica então temos que mudar a perspectiva e olhar sempre qual é a raiz desse problema… ok esse são os sintomas, mas vamos olhar mais profundo da questão, mais profundo. 

Temos uma organização mundial da saúde falando para as pessoas comerem coisas que são as mesmas coisas que estão levando essas pessoas que morreram a ter essas condições preexistentes… 

Então não podemos culpar a ninguém, isso que queria falar. Você não tem a culpa, ninguém tem a culpa, todos temos responsabilidades, que é a habilidade de responder e de tomar as redias da nossa saúde e da nossa vida, por que ninguém vai… 

Temos que parar de ouvir pra fora e ouvir para dentro, o que faz sentido? O que tem sentido? O que tem bom senso? Não o senso comum, pois o senso comum obviamente não está sendo muito bom… Então, qual é o bom senso?

Acabou de sair um estudo dos Estados Unidos que fala que a luz do sol e a umidade matam mais rápido o vírus por que estão entrando nas casas? Por que estão falando pra gente ficar em casa? A vitamina D que com contato na pele é a vitamina mais importante que o sistema imunológico precisa para combater qualquer coisa e a gente está do lado de dentro já quando o vírus não existia, a gente já estava lá dentro, agora mais ainda, por que nem sair pra trabalhar podemos, nem ir no mercado comprar… 

Então temos que nos questionar tudo na vida, tudo, porque toda nossa vida, é o resultado das nossas crenças, se a gente não questiona, a gente não cresce.

E foi isso que aconteceu comigo, ‘’peraí, como assim que eu tenho que ter alguma coisa? O que estou tentando achar? Na boa, eu estou bem! To bem, to saudável, tenho energia, o que estou querendo achar? Será que é verdade isso que me falaram? Não!’’

E eu sei que você também tem muitas coisas que toma como verdade e dá por garantido e que talvez mereçam um questionamento

[ Tammy ]

Merecem um olhar… É importante a gente olhar para a nossa vida, a gente questionar as coisas fora da caixa, porque muitas vezes a gente segue a manada, a gente segue o rebanho, a gente segue o que está todo mundo fazendo, o que está todo mundo falando, então tá todo mundo dizendo que aí. 

Building Blocks (17:23)

O coronavírus tá aí, que eu preciso tomar zinco, então eu vou tomar zinco, por via das dúvidas, mas não me questiono o que eu estou fazendo, qual é a base do meu corpo né? 

Em inglês se chama ‘’building blocks’’ seria os tijolos da minha fundação, os tijolos da minha casa, a minha casa é igual dos tres porquinhos, a minha casa é feita de palha? É feita de gravetos? Ou é feita de tijolos? Né, na hora que eu criei uma casa de tijolos ela tem uma fundação, ela está firme e forte ali, mas hoje em dia a grande maioria da população tá construindo casa ‘’e quando eu to falando de casa eu estou me referindo ao nosso corpo, que é o nosso veículo nesse mundo.

‘’ Se você tá construindo a sua base, o seu corpo, o que faz você estar aqui na terra hoje, de palha, ele vai mais facilmente cair quando vier um primeiro vendaval, e o vento não precisa nem ser tão forte assim.

O lado bom das coisas (18:05)

[ Laura ]

Agora é interessante, pois de alguma maneira eu estou gostando desse vírus, não do vírus, mas do que está acontecendo com esse vírus, toda essa consequência, que esta sendo muito negativa em muitos casos.

Mas eu aprendi, eu me treinei a olhar sempre o lado positivo das coisas sempre e estou vendo como tudo está ficando em evidência! Está tudo em evidência, o que a gente achava que tínhamos que nos matar e que não poderíamos parar por que se parávamos, o negócio não ia funcionar e a gente não ia vender e o mundo vai parar…. como assim? 

Tá louca! ‘’Tem que fazer dinheiro, tem que fazer dinheiro’’ para que um dia alguma coisa, e nesse um dia fazer alguma coisa e eu fazer dinheiro eu deixei a minha saúde de lado porém hoje meu dinheiro nem sei se está, não posso fazer muita coisa com esse dinheiro porque não posso nem sair para gastar esse dinheiro! 

Nem viajar e desfrutar! NADA! A única coisa que tenho é minha saúde, só que continua não cuidando da sua saúde? 

[ Tammy ]

E o pior nem é isso, é que muita gente acha que ‘’bom se acontece alguma coisa comigo, existe essa crença popular ne. Se acontece alguma coisa comigo e eu tenho o plano de saúde está coberto, vai ter internação, tá tudo coberto ou eu tenho um dinheiro guardado, se eu precisar… 

Porém não tem hospital, não tem como ir, só se você vai e você tá mais exposto, e aí, com o dinheiro não salva nesse momento, o dinheiro não salva nesse momento nem no outro momento, o que a gente precisa cuidar é da base da nossa casa.

[ Laura ]

Precisamos descomplicar também, precisamos descomplicar e entender que o simples não significa que é fraco, o simples é o que funciona, e se a gente não tem o simples e a base, todo resto que é mais complicado em algum momento vai se desmoronar. 

Porque não tem a base, e a base, a nossa base é a nossa saúde física, nossa saúde mental, nossos relacionamentos e nossa conexão com alguma coisa mais, que está fora de nós, uma contribuição com o mundo. 

Se a gente não tem isso, todo resto não serve, eu vejo milhares de mulheres, desculpe…mas com super fora do seu peso, cansadas, doentes e querendo mudar o mundo! Como você vai mudar o mundo se você não tem a base, se você não pode se mudar, se você não pode cuidar de você! 

O amor propio (21:01)

[ Tammy ]

E que tipo de exemplo você é pros outros? Eu sei, desculpa, na verdade eu sei muito bem disso, sei disso na pele, porque enfim eu já estive lá, eu já tive 30kg a mais do que eu tenho hoje, eu já estive nesse lugar onde eu talvez não tivesse vendo nesse momento que eu não tava me cuidando, eu não tava me colocando em primeiro lugar, eu não estava me amando. 

No fundo no fundo faz parte do amor próprio… Era isso que faltava, amor próprio pra eu me colocar em primeiro lugar, pra eu cuidar de mim, pra eu cuidar do que é importante, do que é o mais importante pra mim, que é a minha saúde, porque nada mais faz sentido quando a gente não tem saúde.

Alguns questionamentos (21:27)

Então hoje o convite que a gente deixa pra vocês que estão ainda aí ouvindo a gente é justamente que você faça esse questionamento, que você se pergunte, onde é que eu tenho que colocar o meu foco? Como que eu posso me olhar mais? Me cuidar mais? Me colocar em primeiro lugar na minha vida?

[ Laura ]

Ninguém pode cuidar de ninguém se não se cuida! Não é sustentável, assim como não é sustentável olhar apenas para o sintoma, assim como não é sustentável querer fazer DINHEIRO DINHEIRO DINHEIRO DINHEIRO…. 

E esquecer que pra eu fazer dinheiro eu preciso de um veículo que é meu corpo, eu preciso estar funcionando da melhor maneira, minha mente precisa estar funcionando da melhor maneira para eu tomar as melhores decisões, para eu conseguir antecipar, para eu conseguir contribuir. 

Então esse é o convite, espero que tenha conseguido contar uma parte, um pouquinho da minha história, que minha história tenha conseguido inspirar, mobilizar alguma coisa lá dentro, acho que a moral da história pra mim foi

Eu não preciso pertencer a ninguém, eu não preciso pertencer a nada. Você só precisa ser quem você é, e sentir orgulho de quem você é, sentir orgulho de se olhar no espelho, e isso começa, se cuidando todos os dias.

Quer ter MAIS ENERGIA?

Cadastre-se e receba nossas DICAS, DESAFIOS e OPORTUNIDADES para melhorar a performance
e estar em forma para o sucesso.

Curtiu? Então, compartilha! 👇

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Deixe um comentário